O Ciclista

O Ciclista
O Ciclista

O Ciclista

O Ciclista

Vai em silêncio como nos sonhos, mais acordado que os demais.

Vai ligeiro, vai sem teto e portas na lateral, nem vidro para levantar.

Cheira, escuta, areja, vira, se esquiva, se move, atravessa impetuoso.

Calcula e freia no horizonte, para elegantemente no ar, caminha sobre o pedal.

Tem o motor nas costas e no coração, e nas pernas bombeia petróleo.

Vai em silêncio como morto, vai mais vivo que os demais

 

 

Compartilhe
  ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.